Auxílio Brasil começou a ser pago em 17 de novembro em substituição ao Bolsa Família| Foto: Reprodução

Pelo menos quarenta e três por cento das pessoas entrevistadas em uma pesquisa do Datafolha, divulgada neste sábado (25) pela “Folha de S. Paulo”, avaliam que o governo de Jair Bolsonaro agiu mal ao substituir o programa Bolsa Família pelo Auxílio Brasil.

Para 41% do público consultado, a iniciativa é “positiva”. Aqueles que apresentaram “não sabem” como resposta representam 9%. Outros 7% avaliam que o governo não agiu nem bem nem mal ao substituir o Bolsa Família, que estava em vigor há 18 anos.

Foram ouvidas 3.666 mil pessoas em 191 municípios, entre os dias 13 e 16 de dezembro deste ano. A margem de erro é de dois pontos percentuais para baixo ou para cima.

Por outro lado, entre os que recebiam o Bolsa Família até outubro de 2021, 44% aprovam o programa e 42% reprovam. Entre os eleitores do presidente Jair Bolsonaro e apoiadores do governo, chega a 76% o percentual de aprovação; 58% entre empresários; 51% entre evangélicos e 51% entre pessoas que “têm conseguido alimentar a família”.

O Auxílio Brasil começou a ser pago no último dia 17 de novembro. A média do tíquete, inicialmente, era de R$ 217,18 mensais. Em dezembro, com a aprovação da PEC dos precatórios, que abriu espaço no teto para gastos “extras”, o benefício subiu para R$ 415.