Mesmo aprovado pelo STF, décimo para vereadores é rejeitado pela população e movimenta redes sociais em SAJ

Cristina Pita

Enquanto a maioria dos prefeitos do interior da Bahia “rapam o fundo do cofre” para garantirem o pagamento do 13º salário ao funcionalismo municipal, a Câmara Municipal de Santo Antonio de Jesus, no Reconcavo baiano, faz o caminho inverso. Doze, dos 14 vereadores de SAJ, o prefeito, a vice e secretários da cidade terão um dinheiro extra para pagar despesas pessoais neste fim de ano.

É que a Câmara municipal aprovou o pagamento do 13º salário para essas autoridades com cargo eletivo. Cada vereador ganha R$ 9 mil e precisa comparecer a uma sessão plenária por mês. Prefeito, vice e secretários, respectivamente, R$ 18 mil, R$ 9,5 mil e R$ 9,5 mil. A aprovação ocorreu em sessão extraordinária, realizada na manhã de quinta-feira (14 12).

Nas redes sociais, a decisão foi criticada por moradores de Santo Antonio de Jesus e os internautas se manifestaram contra o pagamento do 13o salário. “Não avisaram para a população e na calada colocaram em votação. Estou ciente que estão obedecendo a lei, porém, nesse momento de recessão, aprovar 13o para político é no mínimo imoral” , lamentou  o webdesigner Marcos Paulo. “Não querem legislar a favor do povo. Eles estão contra o povo de Santo Antonio de Jesus,  então vamos para as ruas prostestar com cartazes”, prometeu o ex-candidato a vereador Lobo Quizumba.

O empresário Chico Fortaleza também se manifestou contra o pagamento do 13o. “Eles estão legislando em causa própria e deram de presente de Natal ao povo de Santo Antônio de Jesus dois golpes que vão gerar graves consequências e arrasos. Manobras políticas imorais daqueles que se diziam defensores do povo. Nosso povo não vai ter um Natal feliz…infelizmente”, lamentou.

Há aqueles que defendem o 13o somente para prefeito, vice e secretários. “Prefeito, vice e secretários merecem. Trabalham de domingo a domingo sem horário para acordar e dormir. Vereadores tem os seus recessos duas vezes por ano, não precisam, principalmente, de um terço de férias. Já ganham sem fazer nada nesses recessos” , disse Roseane Souza.

STF aprovou

Em Santo Antonio de Jesus, cada vereador possui, além do salário médio de R$ 9 mil, verba indenizatória para as despesas de gabinete. Os vereadores Chico de Dega e Francisco Freire foram os únicos dos 14 vereadores que foram contrários ao projeto. A cidade tem um pouco mais de 103 mil habitantes e suas fontes principais de arrecadações são o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e as atividades do comércio , indústria e serviços. No projeto, o “novo salário” deverá ser em torno de R$ 5 mil.

Neste ano, uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pela constitucionalidade do pagamento do abono de férias e 13º salário a prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Nesta semana, a Câmara de Vereadores de Gandu, baseada na decisão do STF, também aprovou a criação do 13º salário para os legisladores do município. Gandu e Santo Antonio de Jesus vão na contra-mão da maioria dos legislativos do Reconcavo baiano.

Uma consulta feita nesta semana pelo BA Cidades nas redes sociais sobre o 13º salário para agentes políticos deixa claro que a população é contrária ao pagamento. Das manifestações postadas pelos leitores, há quase que unanimidade na contrariedade ao pagamento do décimo como foi pleiteado pelos vereadores de SAJ.

Na página pessoal do Facebook, o empresário e médico Everaldo Junior escreveu “Pense em um absurdo sem precedentes, já não basta AUMENTO ABUSIVO do IPTU agora  vereadores se reúnem para aumentar os seus subsídios, salários, vantagens como queiram chamar. VERGONHA , ABUSO DE PODER. CHEGA!”.

O empresário ainda compartihou Cards pelas redes sociais contra o 13o salário aprovado pelos vereadores. Veja

 

 

Leave a Reply