Com Marepe como padrinho, Projeto Escolas Culturais é lançado em Santo Antônio de Jesus

Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano, recebeu na manhã desta sexta-feira (15/6) o projeto Escolas Culturais, lançado pelo Governo do Estado com o objetivo de promover o protagonismo estudantil, além de reconhecer e requalificar a escola como um espaço de circulação e produção da diversidade cultural do Território de Identidade onde está inserida. SAJ é a 12ª cidade a receber o projeto.
O lançamento do projeto foi no Colégio Estadual Francisco da Conceição Menezes, onde a comunidade escolar realizou uma grande festa, com música, dança, poesia, artes plásticas, capoeira e grafitagem. O projeto também já foi lançado em Itabuna, Juazeiro, Gandu, Bom Jesus da Lapa, Feira de Santana, Itaberaba, Teixeira de Freitas, Guanambi, Seabra, Ipiaú e Irecê.
Representando o secretário da Educação, Walter Pinheiro, o superintendente de Políticas para a Educação Básica, Ney Campello, participou do plantio simbólico de um cedro-amarelo. “Esse lançamento dá sequência ao projeto que é encabeçado diretamente pelo governador Rui Costa. Esse projeto fomenta a arte-educação nas escolas como uma forma de revitalização pedagógica muito enfatizada pelo secretário da Educação, Walter Pinheiro. Esta ação, sem dúvida, incentiva o empoderamento e o protagonismo dos jovens, além de aproximá-los da cultura”, afirmou.
Para a diretora da escola, Joelma de Queiroz, o projeto reafirma a posição da unidade de investir na cultura no processo de aprendizagem dos estudantes. “Com mais de 2,6 mil alunos do ensino regular, profissional e jovens e adultos, temos diversos jovens com muitas habilidades artísticas. Estamos muito contentes pela atenção com a unidade, que também teve a inauguração de laboratórios de física, química, matemática e biologia pelo programa Brasil Profissionalizante, além da reforma estrutural que estamos passando”, explicou.
O coordenador cultural da unidade, Jueme Nascimento, destacou as ações desenvolvidas na escola. “Cheguei na escola em abril, como parte do projeto, e conseguimos iniciar algumas atividades na área da Literatura e Teatro, além de impulsionarmos a quadrilha junina. Com o lançamento, pretendemos agregar ainda mais atraindo a comunidade e todos que estiverem interesse pela cultura”, disse.
Padrinho Marepe
Convidado para ser o padrinho da Escola Cultural, o artista plástico Marcos Reis Peixoto, conhecido como Marepe, nascido no município, e referência na cultura local, comentou sobre o seu papel a partir de agora junto à comunidade escolar. “Fiquei muito satisfeito com o convite de apadrinhar esse projeto e saber que sou um artista reconhecido na cidade. Estou à disposição para contribuir com o projeto principalmente por ter a consciência que além do aprendizado e conhecimento na escola, este incentivo pode criar novos artistas profissionais”, enfatizou.
O projeto Escolas Culturais é resultado de parceria entre as secretarias estaduais da Educação, de Cultura (Secult), de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e Casa Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *