Sesi e Senai implantam novo Ensino Médio na Bahia

Pelo menos 63 alunos do SESI José Carvalho, em Feira de Santana (a 100 km de Salvador), já estão tendo acesso ao projeto-piloto no Brasil que integra o novo Ensino Médio, Profissional e Técnico. A Escola SESI José Carvalho é uma das cinco escolas do país que começaram o ano letivo de 2018 inaugurando a nova proposta pedagógica, com a implantação do projeto-piloto do novo ensino médio. As aulas iniciaram-se em fevereiro, para 63 alunos do 1º ano.

Segundo o coordenador nacional do Serviço Social da Indústria (SESI Bahia), essa nova proposta pedagógica tem grande apelo tecnológico, o que fará com que os alunos saiam do Ensino Médio, após três anos, já com o diploma do curso de Eletrotécnica. O SESI e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) trabalharam em parceria na construção do novo currículo educacional que valoriza o protagonismo do estudante e propõe uma metodologia integrada entre ensino básico e curso técnico.

O superintendente Nacional do Serviço Social da Indústria (SESI) e diretor-geral do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Rafael Lucchesi, falou das expectativas com a nova proposta. “As pessoas vão ter uma escola que vai dialogar mais com a sua realidade e as suas vocações”, afirmou Lucchesi, sobre a nova lei do ensino médio.

Coordenador pela Bahia junto ao Departamento Nacional do SESI na construção do novo currículo, o professor Fernando Moutinho acrescenta que a proposta é um avanço “ao atender às necessidades do mundo moderno por uma formação integral, não fragmentada e que valoriza as competências trazidas pelo aluno”, explica.

Segundo ele, as duas entidades  adotaram o desafio de trabalhar também com aulas mediadas por tecnologia. “São aulas onde o professor está em um estúdio, transmitindo a aula ao vivo, online, para os estudantes. Em sala de aula, sempre tem um mediador, que faz esse papel de auxiliar o professor que está no estúdio”, enfatiza.

As aulas são divididas por áreas de conhecimento. No primeiro ano do Ensino Médio, os alunos têm aulas da área de linguagens, matemática, ciências da natureza e introdução ao mercado de trabalho; sempre trazendo os acontecimentos do cotidiano para a classe. Já nos dois últimos anos, a carga horária vai passar por mudanças gradativas e os alunos terão mais aulas direcionadas para o curso de Eletrotécnica.

Além da Bahia, a experiência do projeto-piloto, que integra o novo ensino médio com o técnico, também está sendo testada em Goiás, Espirito Santo, Alagoas e Ceará. A escolha do curso de Eletrotécnica se deve ao fato de este ser um dos mais demandados pelo mercado de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *