SAJ: Moradores reclamam dos valores no carnê do IPTU. “Abusivos”

Cristina Pita

Moradores de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano, vão se reunir nesta terça-feira (12/6), às 15h, na sessão da Câmara de Vereadores para protestar contra o aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 2018. A população pretende ainda realizar um protesto, ainda sem data para acontecer, caso nada seja feito em benefício dos moradores.

Apesar da propaganda publicitária da prefeitura afirmar que em Santo Antônio de Jesus ‘o melhor está por vir’, na prática, segundo moradores, isto ainda não corresponde, em parte, com a realidade, como é o caso do aumento dos impostos, como o IPTU e a Contribuição de Iluminação Publica (CIP). Mobilização nas redes sociais contra o IPTU orienta os moradores da cidade que não paguem o imposto.

BA Cidades tentou falar com o prefeito Rogério Andrade, que estava viajando. Porém, durante entrevista à rádio Andaiá FM, ele disse que ‘não tem tempo para ficar com picuinhas.’ Disse ainda que ‘o jovem, o idoso, o cidadão, o pai de família, o trabalhador, que fiquem tranquilos, que, apesar dessa movimentação, com outdoor, orquestrada por agentes políticos, nós não iremos deixar de trabalhar. Estamos nos organizando para continuar a trabalhar e trabalharemos até o final do nosso governo’, garantiu.

Os moradores começaram a reclamar quando os carnês do IPTU foram entregues com valores maiores que os pagos em anos anteriores. Moradores de vários bairros com o boleto do IPTU em mãos e postados nas redes sociais, classificaram o aumento como abusivo. “Olha o aumento que o prefeito e os vereadores de SAJ deram para a população de presente. O IPTU que era de R$ 515,60 subiu para R$ 1.419,48. Isso só acontece na Capital do Recôncavo”, disse um morador nas redes sociais. “Quero tentar resolver o problema do IPTU. Os impostos são abusivos em SAJ”, reforçou outro morador.

Na noite desta segunda-feria (11/6), a partir das 18h30, a Associação Comercial e Empresarial (Acesaj) marcou uma assembleia extraordinária na sede da entidade com os associados e colocou na pauta dos assuntos a repercussão negativa do aumento do imposto no município.

Ano passado, as entidades empresariais, Acesaj, Sindicato do Comércio (Sincomsaj) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) recorrem na Justiça contra o aumento do IPTU. Em 2017, um projeto de lei do Executivo, aprovado pelos vereadores, revisou a Planta Genérica de Valores (PGV) e fez com que o valor venal do imóvel passasse a ser de 50% do valor da venda. Isso alterou o modo como o IPTU é calculado nos imóveis registrados na cidade.

Leave a Reply