Nazaré: Despejo de azeite de dendê polui Rio Jaguaripe

É da palma que se extrai o óleo muito utilizado na culinária, o azeite de dendê. É um dos mais baratos, mas também o mais poluente. E justamente resíduos de azeite de dendê de uma fábrica em Nazaré das Farinhas, no Recôncavo baiano, estão sendo despejados no rio Jaguaripe, que corta a cidade e passa poroutros municípios da região. A quantidade chamou a atenção de moradores, que perceberam na manhã de quarta-feira (3).

Imagens foram enviadas ao Bahia Notícias, mostrando as águas do Jaguaripe com coloração amarelada. Ao BN, o secretário de Planejamento e Meio Ambiente local, Cidney de Almeida Sacramento, informou que vai acionar a Promotoria do Ministério Público para averiguar a responsabilidade do fato. “Vamos acionar o Ministério Público. A empresa que nos foi passado foi a Odesa. O MP vai estabelecer as medidas que serão tomadas”, disse.

Uma equipe da prefeitura foi ao local de onde teria partido o derramamento, para checar se o problema foi gerado pela Odesa ou por uma fábrica clandestina.

Procurada pelo Bahia Notícias, a Odesa, através do gerente comercial, Antônio Campos, informou que até o momento “não foi detectado nenhum vazamento” de óleo que provocasse o derramamento do azeite no Jaguaripe. Segundo ele, não há vestígios na área, como manchas em embarcações, que possam atribuir o problema à companhia. A empresa ainda disse que faz o trabalho de manutenção para averiguar o caso. (Com informações do BN)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *