Justiça ordena prisão de mais três suspeitos da morte do jogador Daniel Freitas

Eduardo Henrique Ribeiro da Silva,de 19 anos, foi o único detido, em Foz do Iguaçu. David Willian Villero Silva, de 18, e Igor King, de 20, estão sendo procurados. Em conversa anterior com a polícia, eles já haviam confessado que estavam no carro.

O empresário Edison, que já estava preso, prestou novo depoimento ao delegado Amadeu Trevisan por seis horas. Até às 19 horas, sua defesa não havia se manifestado sobre o teor desse depoimento.

O empresário, a mulher Cristiana e a filha Allana Brittes, que completou 18 anos e promoveu a festa que acabou em tragédia, continuam detidos e devem ser levados nos próximos dias para o sistema prisional do estado.

Elas e o empresário serão indiciados por homicídio qualificado e coação de testemunhas. Segundo laudo preliminar do Instituto Médico-Legal (IML) o atleta morreu por causa de ferimentos com arma branca – além de ser mutilado, Daniel teve parte de seu pescoço cortado e o pênis decepado.

O delegado Amadeu Trevisan, disse na terça-feira, um dia antes do depoimento de Edison, que a família estava com depoimentos discrepantes. Ele havia ouvido a mulher de Edison, Cristiana, e Allana.

A mulher chegou a dizer em seu depoimento que acordou com Daniel sobre ela “com pênis ereto para fora da cueca”, mas o delegado acredita que o atleta deitou ao lado da mulher para fazer as fotos ao lado dela e que não haveria algum sinal de estupro ou tentativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *