Falsa psicóloga presa em Amargosa

A Polícia Civil de Amargosa prendeu ontem, terça-feira (22/5),  Sheila Araújo Guimarães, de 47 anos, por exercício ilegal da profissão de psicologia. Durante as investigações, os policiais fizeram consultas ao Conselho Regional e ao Conselho Federal de Psicologia, os quais informaram que não consta inscrição em seus cadastros de Sheila Araújo Guimarães.

Diante das informações, a polícia  representou pela busca e apreensão no consultório de atendimento e na residência da falsa psicóloga. As buscas foram realizadas pela Polícia Civil de Amargosa, que apreendeu farto material probatório da existência do crime. A ação foi filmada pelos policiais e a falsa psicóloga afirmou que possuía carteira de inscrição no Conselho de Psicologia, mas a numeração apresentada e constantes no receituário e carimbos eram falsas.

De acordo com o delegado Adílson Freitas, titular da Delegacia Territorial (DT), de Amargosa, a falsária utilizava carimbos falsos e chegou a prescrever medicamentos controlados para diversos pacientes. Ainda segundo o delegado, um mandado de busca e apreensão foi cumprido na casa e no consultório de Sheila, onde os policiais encontraram blocos de receituário e carimbos. “Fizemos consultas ao Conselho Regional e ao Conselho Federal de Psicologia, os quais nos informaram que não constava inscrição em seus cadastros em nome de Sheila Araújo Guimarães”, salientou Adílson Freitas.

A falsa psicóloga receitava remédios alopáticos, exclusivos da classe médica, e homeopáticos. A mulher usava dois carimbos, um com a inscrição no Conselho Regional de Medicina com o nº 13751, para poder prescrever medicação alopática, alguns com tarja preta; e outro do Conselho Regional de Psicologia, com numeração 03/033304, onde prescrevia medicação homeopática.

Em depoimento à polícia, Sheila Araújo Guimarães afirmou que atuava como psicóloga em Amargosa desde 2013, inicialmente no CREAS. Atualmente atendia num consultório improvisado particular. Sheila irá responder ao procedimento em liberdade  por exercício ilegal da profissão.

Foto Amargosa News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *