Prefeito de Salinas da Margarida tenta difamar ex-nora, acusa Clara Vieira, agredida pelo filho do prefeito, Filipe Pedreira

Desde que denunciou ter sido torturada pelo ex-marido, em Santo Antônio de Jesus (a 190 km de Salvador), no Recôncavo Baiano, a filha do prefeito Wellington Macedo (PSD), de Muniz Ferreira, Clara Emanuele Santos Vieira, de 20 anos, relatou que, recentemente, foi constrangida pelo prefeito de Salinas da Margarida, Wilson Pedreira (PSD), pai do ex-companheiro dela, Filipe Pedreira, 19 anos, que continua foragido. A informação foi divulgada pelo BNews nesta quarta-feira (11/7).

De acordo com o site, Clara denunciou na página oficial do Instagram, que em grupo composto por políticos do PSD, o prefeito de Salinas publicou fotos dela em uma festa junto com amigas. Segundo Clara, o prefeito tenta ‘difamá-la’ com a publicação. “Acabei de receber esse print, no qual, o pai do agressor, Wilson Ribeiro Pedreira, prefeito da cidade de Salinas das Margaridas-Ba, postou essas fotos em um grupo no WhatsApp mostrando que estou em festa, na tentativa de me difamar. Não tenho nada a esconder. Realmente estava em festa, tentando não me abater, nem deixar a tristeza tomar conta de mim, até porque eu sou maior e mais forte do que tudo isso. Estou lutando até hoje por justiça juntamente com familiares, amigos e vocês”, escreveu Clara em uma postagem publicada no Instagram e compartilhada em vários grupos de WhatsApp.

Veja

Na postagem, a jovem se defende: “enquanto tentam me difamar, me deixar pra baixo, existem pessoas que querem meu bem. Minhas amigas me convidaram pra ir, pra me distrair e eu sei o que estava passando ali, eu fui como prometi, prometi que iria me divertir com elas, tentava me esforçar pra não pensar no que passei e estou passando, mas toda hora a tristeza e angústia vinha, como está aí nos prints delas falando que mal me divertir. Eu tentei. Estou tentando colocar um sorriso no meu rosto depois disso tudo. É triste e lamentável ver que isso não tem fim, que querem me acabar de todas as formas possíveis. Mas tenho voz, e não estou sozinha. Estou tentando viver, seguir a minha vida, tentando colocar um sorriso no rosto que o seu filho tirou. Eu não sou culpada, muito menos uma foragida da polícia pra estar compartilhando fotos da minha vida pessoal”, escreveu.

Filipe Pedreira é acusado  de torturar, espancar e cortar os cabelos de Clara, mas ainda não foi localizado pela polícia, desde que a prisão preventiva foi decretada pela Justiça desde o dia 18 de maio último, quando foi acatado o pedido de prisão, solicitado pelo Núcleo de Proteção à Mulher (NPM) da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), de Santo Antônio de Jesus, onde o crime ocorreu. *BA Cidades e BNews

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *