Luiza Maia repudia funk de MC Diguinho por fazer apologia ao estupro

A presidente da Comissão dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa da Bahia, deputada Luiza Maia (PT), repudiou o funk “Só Surubinha de leve”, do MC Diguinho, por fazer apologia ao abuso sexual. “Infelizmente, em alguns setores da música brasileira, estamos regredindo no respeito à mulher”, disse a parlamentar.

O refrão da música tem versos do tipo “Taca bebida, depois taca pica e abandona na rua”. Para a deputada, quem compõem esse tipo de produto precisa saber que é desserviço à luta contra o estupro e à violência sexual que vitima milhares de mulheres no país.

“É uma aberração, um incentivo ao crime disfarçado de música. Há muito funk legal, mas este é um lixo. Tem que ser denunciado e repudiado para que seja removido de todas as plataformas que tocam hits no Brasil”, afirmou.

Só surubinha de leve’ é excluída das paradas do Spotify.

A exclusão foi feita na quarta-feira (17/1). O funk estava em primeiro na “Brazil Viral 50”, com as músicas com maior crescimento de audições, e em 27º no top 50 Brazil, o principal ranking brasileiro. Ela também foi retirada do Spotify, segundo a plataforma de streaming. Por cantar versos como “Taca bebida, depois taca pica e abandona na rua”, o funkeiro é acusado de fazer apologia do estupro. O clipe foi lançado ontem, quarta.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *