MORRO DE SÃO PAULO: Estrutura do atracadouro está oxidada e ameaça ruir

Morro de São Paulo, localizado no Arquipélago de Tinharé, no município de Cairu, na região do baixo sul baiano, e que atrai milhares de turistas para as festas de final de ano, está com a estrutura do atracadouro com risc de desabar. Segundo divulgou o BNews neste domingo (24), quando chegam ao balneário de lanchas ou barcos, os passageiros atravessam uma ponte de ferro, cuja estrutura sofreu os efeitos da corrosão da água do mar. Segundo denúncia de frequentadores do lugar, a estrutura pode ruir a qualquer momento.

Para este fim de ano, o lugar espera para o Réveillon mais de 15 mil pessoas com 100% da ocupação hoteleira. Até a sexta-feira (22/12) já estavam na cidade 13 mil pessoas com 85% de ocupação, de acordo com a Associação Comercial e Empresarial de Cairu (Acec). A ponte do atracadouro é o acesso mais fácil para quem chega nas embarcações, que fazem o travessia para o Morro de São Paulo.

A prefeitura de Cairu disse, ao BNews, que a administração do terminal é de total responsabilidade da Agerba, através da empresa Dattoli, que opera os terminais de Valença, Morro de São Paulo, Gamboa e Boipeba.

O presidente da Acec, Carlos Sautchuck, rebate. Segundo ele, a responsabilidade é coletiva. “Na verdade, o problema da precariedade da ponte é do conhecimento de todos, tanto da prefeitura de Cairu, como do Governo do Estado. Em inúmeras reuniões, com o ex-secretário de Turismo do Estado, Nelson Pelegrino, como com o atual, José Alves, com o prefeito Fernando Brito e recentemente com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, relatamos o problema e pedimos uma solução. Até hoje só foram feitos reparos paliativos, como pintura e algumas soldas, unicamente com o propósito de encobrir um problema que se agrava diariamente. O problema é muito sério”, afirmou.

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *