“A responsabilidade da má condução da votação do IPTU foi do presidente da Câmara, que não tem maturidade para ser presidente”, diz o médico e empresário Everaldo Junior

Cristina Pita

Durante entrevista nesta terça-feira (5), o médico e empresário Everaldo Junior elogiou a postura do vereador Uberdan Cardoso (PT), após reconhecer que o processo de votação do aumento do IPTU na Câmara Municipal foi ‘mal conduzido’. “Eu acho uma posição valorosa do vereador Uberdan ter reconhecido que não houve um debate e que o processo de votação do IPTU foi mal conduzido. Então a responsabilidade da má condução foi do presidente da Câmara”, afirmou Everaldo Junior.

Segundo o empresário, o presidente da Câmara, Antônio Nogueira, seria inexperiente para o cargo que ocupa. “Ele não tem maturidade para ser presidente, não tem autonomia para tomar qualquer atitude. Quero deixar claro que Tom é um suplente de presidente. O presidente é o tio, Euvaldo Rosa, que o orienta e diz o que ele tem que fazer”, bradou.

Sobre as polêmicas envolvendo o nome dele, do prefeito Rogério Andrade e o do vereador Uberdan Cardoso, que é o líder do prefeito na Câmara, o médico nega ter desavenças com os dois. “Não sou inimigo do vereador Uberdan e nem do prefeito Rogério Andrade, apesar das pessoas ficarem polemizando isso. Só estamos em fileiras diferentes. Eu sou oposição em Santo Antônio de Jesus desde 2004. Eu perdi a eleição, e não me mudei, continuei morando em SAJ”, salientou.

Mobilização contra aprovação do aumento do IPTU

O médico e empresário encampou uma mobilização contra a aprovação do aumento do IPTU, recolhendo assinaturas pelas redes sociais. Segundo ele, faltou uma discussão com a sociedade. “O projeto foi aprovado, a vitória aconteceu, mas e os desdobramentos do que está acontecendo? A população está satisfeita? Quem ganhou? A população ou o prefeito Rogério Andrade? Esses questionamentos nós colocamos para as pessoas refletirem porque logo terá uma nova eleição”, justificou.

A indignação do empresário Everaldo Junior sobre a condução do processo de  votação do projeto de lei do Executivo que aprovou o aumento do IPTU na cidade vai além. Segundo ele, ‘o prefeito é o síndico’. “A responsabilidade de quem vai conduzir os destinos da cidade não permite ao prefeito achar que é dono da cidade, que ele pode fazer o que quer . Ele atua como síndico.  Limpar, tapar os buracos e calçar ruas não é mais do que a obrigação dele. Se o antecessor não fazia, não é espelho para ele”, lamentou.

Everaldo Junior afirmou ainda, durante entrevista a Marcos Augusto, que o ex-prefeito Humberto Leite e o atual, Rogério Andrade, fazem parte do mesmo projeto político. “O ex-prefeito Humberto Leite foi o candidato do atual prefeito Rogério Andrade. Humberto Leite teve como deputado o atual prefeito Rogério Andrade. São pessoas de bem, mas que conduzem a política da mesma forma. É o mesmo modelo. Na própria gestão do prefeito Rogério Andrade quem era diretor virou secretário, não tem muita coisa diferente não”, ironizou.

‘Secretários de fora não pagam IPTU’

Nem o sceretário de Finanças e Administração, Joaquim Bahia, que é de Salvador, foi poupado das críticas de Everaldo Junior. “O secretário de administração, que criou a lei, uma lei que tem vícios, equívocos e erros, por exemplo, a voracidade que o atual secretário tem de se cobrar é muito grande, mas questiono: O secretário é contribuinte? Não, ele mora num hotel. Ele não mora na cidade. A responsabilidade que ele tem não é a mesma nossa de contribuinte, de morador. Se você observar no artigo 9  do PL, se cobra o ISS também”, ressaltou.

O médico e empresário finalizou lamentando que o reajuste do IPTU vá onerar o orçamento da população de SAJ. “Estamos aqui questionando porque vai doer no bolso do contribuinte, no bolso das pessoas que vão pagar”, finalizou.

 

 

 

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *