PF: Ex-gerente da Transpetro na Bahia pressionava por propina

Preso preventivamente nesta terça-feira (21) pela Operaçào Lava Jato, o ex-diretor da Transpetro, José Antônio de Jesus, pressionou Luiz Fernando Nave Maramaldo, da NM Engenharia, a pagar propina para o PT, segundo a Época. “O acerto era relacionado ao PT”, disse o colaborador, que foi interrogado no dia 19 de agosto em Curitiba.

Maramaldo narrou aos procuradores que, ao ser abordado por José Antonio, comentou que os pagamentos já eram feitos a Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro. O gerente da subsidiária então respondeu, segundo o depoimento: “Sérgio Machado era do PMDB e ele, José Antonio, era do PT; então, os pagamentos tinham de ser feitos mesmo assim”.

Maramaldo afirmou ter ouvido também do representante da subsidiária que a vida da NM Engenharia poderia ser dificultada caso não fossem feitos os repasses. O colaborador não apontou quem no PT seria beneficiado. Jesus era gerente de suporte do Norte-Nordeste da Transpetro.

A atual fase da Operação Lava Jat0 foi batizada de Sothis e tem como principal alvo a investigação de empresas e sócios suspeitos de atuar em um esquema de repasses ilegais de uma empreiteira para o funcionário da Transpetro, que é uma subsidiária da Petrobras, em troca de contratos com a estatal.

Do total de mandados, oito são de busca e apreensão, um é de prisão temporária, e cinco mandados são de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

Os crimes investigados na operação são corrupção, lavagem de dinheiro, entre outros. O alvo de prisão temporária será levado para a Superintendência da PF, em Curitiba.

O nome da operação, segundo a PF, é uma referência a uma das empresas investigadas, chamada Sirius. “A estrela Sirius era chamada pelos egípcios de Sothis”, explicou a corporação.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *