Empresas baianas inseridas na “lista suja” do trabalho escravo

Após dois anos de suspensão, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) publicou na sexta-feira, 24, uma nova edição da chamada “lista suja”, um cadastro de empregadores que o órgão federal costumava atualizar semestralmente, com empresas investigadas por submeter os funcionários a condições análogas à escravidão. Dos 68 investigados, 14,7% são empresas do setor da construção civil.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *